Atendimento
(11) 2359-0684

Suporte
(11) 2368-0710

Ícone do Menu
Otimização de websites

Otimização de Websites: o que é, como tudo começou e como fazer melhor

A otimização de websites refere-se a prática de empregar técnicas para selecionar as melhores alternativas com o intuito de atingir objetivos pré- determinados por empresas. Ou seja, estabelecer prioridades para uma maior eficácia na busca de melhores resultados para negócios de quaisquer segmentos.

Assim, quando nos referimos aos websites, essa otimização de sites ou Search Engine Optimization (SEO), busca utilizar estratégias para melhorar o posicionamento dos links do seu site na listagem de resultado de um buscador, como o Google, por exemplo, considerado o maior buscador orgânico do mundo.

Entretanto, implementar técnicas que promovam resultados positivos não é uma tarefa tão fácil, muito pelo contrário. É necessário contar com uma equipe de profissionais preparados para auxiliá-lo no desenvolvimento, e sobretudo, na aplicação das melhores estratégias de otimização a fim de se obter maiores tráfegos de visitas nos sites desenvolvidos.

A origem do termo SEO: quando e como foi criado

Muitas pessoas acreditam que para posicionar uma empresa ou marca no meio digital basta apenas optar pela criação de um website e pronto. Entretanto, colocar um projeto no ar não é suficiente: é essencial ter tráfego.

Este tráfego consiste no número de pessoas que acessam e adquirem os produtos ou serviços que estão sendo comercializados pela sua empresa. Mas a interrogativa principal é: como gerar tráfego para o website do seu negócio?

Existem diversos meios e estratégias que visam proporcionar conteúdos mais completos aos sites. Por meio dos conteúdos desenvolvidos é possível ranquear o site, o que basicamente consiste em um melhor posicionamento nos mecanismos de pesquisa, consequentemente, resultando em um maior tráfego de usuários, uma vez que estes conseguem te achar com muito mais facilidade.

Sigla para Search Engine Optimization (otimização de sites para mecanismos de busca), o SEO é um conjunto de técnicas que visa melhorar a visibilidade de um site nos mecanismos de busca orgânica do Google, por exemplo.

Todavia, mesmo tendo se popularizado somente nos últimos anos, o termo SEO existe há mais de uma década, sendo difícil traçar o surgimento exato do termo. Entretanto, existem boatos que ele tenha sido criado no verão de 1995 por Bob Heyman - fundador do site Search Engine Land - que recebeu uma ligação do enfurecido Jefferson Starship, gerente de uma banda de rock, que após uma pesquisa num mecanismo de busca notou que o site de sua banda não aparecia na página do buscador.

Logo, Heyman percebeu que o que ditava os resultados das buscas orgânicas referia-se à quantidade de vezes que as palavras-chaves apareciam no site. Tanto que pouco tempo após a modificação, a página da banda recuperou seu ranqueamento no mecanismo de busca.

Porém, independente das teorias de origem, uma coisa é certa: o SEO é hoje uma das melhores e mais utilizadas técnicas para conseguir bom ranqueamento em mecanismo de busca orgânica e assim gerar mais tráfego para seu site e converter leads em vendas para sua empresa.

O que é a otimização de website, afinal?

Com origem do latim optimus, o verbo otimizar refere-se a algo que objetivamos melhorar. Ou seja, ‘otimizar” diz respeito ao aprimoramento de algo, através de aplicação de técnicas para escolher as melhores alternativas, a fim de se chegar ao objetivo.

Assim, a otimização de um website relaciona-se a técnicas de programação e estratégias que empresas de SEO utilizam durante o desenvolvimento de sítios eletrônicos. Deste modo, é possível garantir que o site chegue a um posicionamento de destaque no principal mecanismo de busca, o Google.

Afinal, estar em destaque no buscador mais acessado do mundo é um ótimo meio para se alcançar um tráfego de visitantes muito maior dentro de um site. De acordo com dados do Clicky: Web Analytics in Real Time, somente no Brasil o Google detém 97% do mercado de busca, isso significa que mais da metade da população brasileira utiliza o Google como fonte de pesquisa.

Deste modo, a otimização de websites busca evidenciar instituições, produtos e serviços por meio de estratégias que destaquem as mesmas na primeira página de buscas orgânicas.

Relação da otimização com os rankings da web

Relação da otimização com os rankings da web

Assim como em sentido denotativo, o ranking no SEO consiste, basicamente, em uma maneira de avaliar a relevância de um determinado site ou blog perante sua concorrência.

Esse ranqueamento é feito após o cruzamento de uma série de critérios, onde os mecanismos de busca fazem o ranqueamento de uma página, de forma a exibi-la em posição que fará mais sentido para o usuário.

O PageRank, por exemplo, é a métrica utilizada pelo Google para avaliar a importância de um site. Criada em 1995 por Larry Page, na Universidade de Stanford, esta métrica com mais de 20 anos de existência ainda é muito utilizada juntamente à três fatores: quantidade de links que a página recebe, a qualidade deles e o contexto em que estão inseridos.

Já o TrustRank é um algoritmo criado pelo Google com o intuito de verificar se determinado site é legítimo ou não. Em geral, este algoritmo define páginas confiáveis que servirão de base para as demais avaliações de páginas do mesmo nicho.

Entretanto, o trabalho do SEO é muito mais complexo do que tratamos até aqui, afinal, ele envolve uma série de parâmetros e critérios, sendo estes os responsáveis por posicionar o seu site em primeiro lugar no Google. Portanto, o ideal é não se apegar aos rankings e priorizar as melhorias em seu site.

Como o Google funciona: rastreamento, indexação, exibição de resultados

Como o Google funciona

Conhecidos como os 3 principais processos de retorno de pesquisa, vamos conhecer agora os chamados rastreamento, indexação e exibição de resultados:

Caracterizado como o processo no qual os robôs do Google (chamados de Googlebot) indicam as páginas para enviar ao índice dos buscadores, o rastreamento consiste na utilização de algoritmos por robôs de modo a definir a priorização e frequência de indexação das páginas.

O processo é iniciado com as URLs geradas a partir de procedimentos anteriores de rastreamento e enriquecida com os sitemaps. Conforme o fluxo de visitas nas páginas, o Google identifica links existentes e os inclui na lista de rastreamento, durante esse processo alterações e exclusões são detectados e atualizados.

Logo após esta ação, ocorre a etapa de indexação na qual o Googlebot processa cada uma das páginas rastreadas para incluí-las em seu índice. Nesse sistema, são indexadas informações como conteúdo da página, data da publicação, região da publicação, título, descrição e dados mais técnicos.

Consequentemente, quando realizamos uma consulta, um resultado de páginas correspondentes é feita no índice do Google, exibindo os resultados mais relevantes. Resultados esses determinados por mais de 200 fatores de ranqueamento.

Durante o processo de busca o Google também dispõe do preenchimento automático, que consiste na frase “Você quis dizer…”, feito para poupar tempo, corrigir erros e auxiliar na pesquisa.

Algoritmo e atualizações

Os algoritmos são responsáveis por filtrar o que é mais relevante para você e não apenas apresentar todo o conteúdo disponível na página, sem critério algum de classificação.

O Google utiliza mais de 200 fatores de ranqueamento para definir a ordem das páginas apresentadas ao usuário para cada busca realizada. Deste modo, para melhor resultado de buscas, esse algoritmo está sempre em constante atualização.

Conheça os principais algoritmos e suas influências para o ranqueamento de páginas no buscador:

Florida (2003)

Conhecida como a primeira grande atualização do Google, a Florida é considerada a atualização que colocou o SEO no mapa. Logo quando lançada, este algoritmo foi capaz de remover entre 50 e 98% dos sites com baixa qualidade, que praticavam keyword stuffing (uso de palavras-chave iguais sem relevância), com domínios que continham palavras-chave exatas e com uma rede de links apontados para página inicial do site.

Panda (2011)

O Panda foi uma grande atualização que afetou quase 12% dos resultados de pesquisa. Seu objetivo era penalizar sites com conteúdos de baixa qualidade. Desde então, todas as 27 atualizações sempre foram focadas na qualidade de conteúdo dos sites, sendo o último upgrade realizada em 2015. Entretanto, apesar do Panda 4.2 ter sido apenas uma atualização de banco de dados, acabou impactando muitos sites que ainda insistiam em produzir conteúdo de baixa qualidade.

Penguin (2012)

Atingindo cerca de 3,1% dos resultados de buscas em inglês, o Penguin foi uma atualização responsável por conter o excesso de otimização nos conteúdos. Seu objetivo é identificar e penalizar sites que praticam keyword stuffing e que praticam esquemas para gerar links, técnicas estas consideradas black hat.

A partir de 2016, após o lançamento de sua versão 4.0, o Panda oficialmente fez parte do algoritmo do Google e começou a atuar em tempo real.

Hummingbird (2013)

Agregado ao algoritmo do Google em 2013, o Hummingbird serviu como uma espécie de revisão, isso porque os resultados de busca vão muito além das famigeradas palavras-chave. Existem outros fatores que são relevantes para um resultado mais completo tais como: o universo semântico, significado da busca, sinônimos e o contexto em que os termos estão inseridos nas páginas, localização dos usuários e outras pesquisas realizadas anteriormente.

Todo este processo foi desenvolvido com o objetivo de tornar os resultados cada vez mais relacionados com a verdadeira intenção de busca do usuário, não levando apenas em conta a escolha do léxico utilizado na pesquisa.

HTTPS/SSL Update (2014)

Em 2014 o Google anunciou que o HTTPS estava se tornando um fator de ranqueamento. O que se mostrava um meio vantajoso de incentivo a migração da comunidade online para uma internet mais segura.

Este incentivo, ocorreu pois sites que possuíam certificado SSL ou Secure Socket Layer, decidiram migrar para HTTPS que é hoje o meio mais seguro de ter suas informações criptografadas, impedindo que dados sensíveis sejam sejam interceptados e roubados no meio do caminho.

Mobile Friendly Update - Mobilegeddon (2015)

Atualização do Google com foco em dispositivos móveis, a mais antiga atualização do mobilegeddon tratava-se de um algoritmo que tinha como objetivo priorizar e beneficiar sites amigáveis para mecanismos de busca , sem levar em conta, entretanto, se o site era adaptado para dispositivos móveis.

Uma nova atualização mobile friendly foi lançada em 2016, que teve um baixo impacto em comparação a primeira. Isso porque a maioria dos sites já eram adaptados.

RankBrain (2015)

Conhecido por ser um dos três principais sistemas de ranqueamento, o Rankbrain é um sistema que utiliza machine learning e inteligência artificial, sendo responsável por ajudar na interpretação e apresentação dos resultados de busca.

Fred (2017)

Já a atualização Fred foi lançada em 2017 com o objetivo de identificar sites que apresentam conteúdo de baixa qualidade e muitos banners de propaganda, rebaixando-os no ranqueamento de páginas. Assim, o algoritmo Fred busca incentivar ainda mais a produção de conteúdos de qualidade e que sejam relevantes para o público alvo.

Fatores de ranqueamento do Google

Como já mencionado anteriormente, o Google define a relevância e priorização dos resultados das buscas com base em mais de 200 fatores de ranqueamento, entre os quais podemos citar os principais:

  • Page authority/pagerank;
  • Autoridade do domínio;
  • Relevância de links;
  • Conteúdo original e de qualidade;
  • Tamanho do conteúdo;
  • Palavra-chave do título (title tag);
  • Palavras-chave no conteúdo;
  • Tempo de permanência na página;
  • Velocidade de carregamento da página;
  • Design responsivo.

Em 2017, a SEMrush realizou uma pesquisa sobre os fatores de ranqueamento, 5 fatores foram identificados como mais importantes, sendo eles: visitas diretas no site, tempo de visita, quantidade de páginas acessadas, taxa de rejeição e total de domínios de referência.

Mobile First Index

Sabemos que atualmente a maioria das pesquisas realizadas no Google são feitas através de dispositivos móveis e, devido a isto, ter um site mobile friendly se tornou um importante fator para ranqueamento de sites.

Neste sentido, uma das mais recentes atualizações de algoritmo no Google, o Mobile First Index, desenvolvida em 2016 é lançada de forma gradual a partir de 2017, permite que o buscador use a versão mobile do site como base.

O que por um lado pode ser prejudicial para sites não adaptados a dispositivos móveis, e por outro, muito benéfico para melhorar posicionamento em buscas orgânicas para sites mobile.

Porém, de acordo com o Google, os sites que não possuem versão desktop continuarão a ser indexados, conquanto que o conteúdo disposto possua qualidade, não sendo, portanto, passível de prejuízo com tais modificações.

SEO como canal de conversões: transformando leads em vendas para sua empresa.

SEO como canal de conversões

Composta de variadas etapas de planejamento, o SEO (Search Engine Optimization) costuma iniciar-se pela escolha estratégica de palavras-chave que são, de fato, de grande importância para o bom posicionamento de sites em grandes buscadores.

Apontado como o principal responsável pelas vendas online, o tráfego de busca orgânica/SEO atua como um canal efetivamente benéfico na transição de leads para clientes e o aumento de ROI de marketing para sua empresa.

Principal meio de prospecção de clientes, a otimização para motores de busca diz respeito a um conjunto de técnicas que visam posicionar sites no topo de buscadores com o objetivo de gerar mais tráfego, transformando visitas em leads ou mesmo clientes.

Na era da hiperconectividade, é praticamente impensável não utilizar-se das técnicas de SEO quando visamos lucrar através da Internet. Neste sentido, muitas são as empresas que utilizam este conjunto de técnicas do Marketing Digital com o intuito de vender mais produtos, fidelizar potenciais consumidores ou mesmo atrair visitante com marketing de conteúdo.

Com o crescimento estrondoso do mercado na Internet, é indispensável se fazer ser visto em meio a tantos concorrentes do mesmo segmento. Assim, o SEO se torna um canal imprescindível de conversões benéficas para o seu negócio.

A princípio, podemos afirmar que as técnicas de otimização de sites serão sentidas com o aumento de tráfego de visitas em seu website, para que posteriormente você possa vir a se tornar uma autoridade na Internet.

Assim, a longo prazo, as técnicas de SEO vão lhe ajudar a se posicionar para pesquisas de serviços e produtos com mais visibilidade, criando possibilidades mais relevante que aumente suas chances de adquirir novos contatos sem precisar investir em links patrocinados.

Desta forma, os objetivos que você pretende alcançar com o marketing digital independem, pois o SEO pode ser utilizado para os mais diversos projetos quando planejado com atenção e expertise.

5 Benefícios da Otimização de Websites Para o seu Negócio

Os benefícios de ter um website otimizado (SEO) são inúmeros e representam na Internet uma vantagem competitiva para empresas que almejam o sucesso de seus negócios e visam aproveitar este universo digitalizado como grande aliado para atração e realização de vendas e/ou contratação de serviços.

Quer saber por que toda empresa deve ter um site otimizado? Confira os principais benefícios que o SEO pode trazer para sua marca e invista numa estratégia de marketing digital que é verdadeiramente eficaz para você!

  • Aumento do tráfego de visitante em seu website

Tendo como principal objetivo dar destaque para sites em resultados de buscas orgânicas, a aplicação de SEO tem como consequência pioneira, o aumento do tráfego para páginas. Assim, mais do que atrair pessoas para seu site - como aconteceria com os links patrocinados - as técnicas de otimização magnetizam o público-alvo para o seu negócio, ou seja, aquele grupo que pode vir a ter mais interesse pelo seu produto ou serviço.

  • Retorno sobre investimento (ROI)

Quando abrimos um negócio temos o sonho de obter retorno sobre qualquer ação que realizamos, certo? Neste sentido, a aplicação de técnicas de SEO vai muito além do que qualquer empreendedor deseja.

Sigla para a expressão em inglês “return over investment”, o ROI pensado sobre o âmbito da otimização de sites traz informações valiosas para seu negócio, como, por exemplo, as palavras-chave que levaram clientes ao seu site, conteúdos mais acessados, etc. Neste sentido, todas estas informações poderão ser usadas futuramente para campanhas eficientes que proporcionem maiores chances de retorno.

  • Usabilidade do site

Ao realizar a otimização de sites é comum que pensemos somente no posicionamento do mesmo em grandes buscadores. Entretanto, o conjunto de técnicas de otimização visam acima de tudo tornar um site muito mais user friendly, ou seja, que seja de fácil navegação para os visitantes.

Afinal, sabemos que não existe nada mais chato do que acessar páginas que demoram para carregar e que são extremamente desorganizadas. Assim, tornar seu site mais amigável para navegação, reduz de forma significativa as taxas de rejeição, ajudam a elevar seu site para o topo das buscas.

  • Reputação digital para sua empresa

Tendo como premissa básica o posicionamento de sites em resultados de busca, o SEO além de aumentar o tráfego, faz com que as pessoas passem a nutrir maior confiança na sua marca. Isto por que, os primeiros resultados de pesquisas costumam se tratar de sites importantes e confiáveis.

Assim, um site bem posicionado no Google, por exemplo, tem o que chamamos de autoridade de domínio, tornando-se referência nas buscas relacionadas a determinado assunto e, com isso, conquistando boa reputação perante seus potenciais clientes interessados nos produtos ou serviços que você oferece.

  • Redução de custos

Concorrente direto do SEO, os links patrocinados requerem grande custo de investimento. Afinal, você irá pagar por cada clique que sua página receber, sem ter a certeza do retorno sobre o investimento, pois este tipo de campanha não visa atrair um público em especial que tenha interesse no seu tipo de produto.

Entretanto, com a otimização de sites e as técnicas de campanhas online, é possível segmentar seus anúncios de acordo com o público-alvo que você pretende atingir, levando em consideração aspectos como região, sexo, faixa etária, etc.

Técnicas de SEO: Black Hat x White Hat

Técnicas de SEO: Black Hat x White Hat

Se você chegou até aqui provavelmente está a procura de meios para aperfeiçoar o desempenho do seu site para mecanismos de buscas e, consequentemente, alavancar os negócios de sua empresa, certo? Estudar métodos de SEO pode não ser uma tarefa tão simples, afinal, muitas são as técnicas que podem ser aplicadas para alcançar metas.

Porém, mais do que compreender cada uma destas estratégias, é fundamental compreender o lado ético da aplicação de otimização de sites (SEO), entendendo o que é considerado certo e errado ao trabalhar a sua marca na Internet.

Portanto, para que você consiga alcançar seus objetivos com mais eficácia, te ajudaremos a entender melhor os conceitos de Black Hat e White Hat no que tange às técnicas de SEO. Vamos lá?!

Definição dos termos

Derivados dos clássicos do cinema western americano, também conhecidos como filmes de faroeste, os termos “black hat” e “white hat” fazem um trocadilho com os personagens das tramas, onde os heróis usam chapéus brancos e os vilões contracenavam utilizando chapéus pretos.

Em resumo, esta brincadeira é utilizada para contrastar o bem do mal tanto no que diz respeito aos filmes, quanto às ações de marketing digital voltadas com especificidade para o Search Engine Optimization, o famoso SEO.

Black Hat SEO

Como sabemos, o objetivo base de qualquer sites de busca é exibir os resultados que mais condizem com as pesquisas realizadas por internautas. Assim, para que isto funcione de forma eficiente, o Google, por exemplo, se utiliza de robôs que tem por missão detectar páginas que ofereçam as informações mais completas e atualizadas para os usuários.

Neste cenário, a técnica de Black Hat SEO consiste na corrupção destes mecanismos para que suas páginas estejam sempre no topo, o que pode ser verdadeiramente tentador para empreendedores que buscam sucesso instântaneo.

Entretanto, assim como a ascensão pode ocorrer de forma bastante rápida, o fracasso pode vir numa avalanche, pois, quando estas práticas são descobertas, punições severas podem ser incutidas ao infrator, levando-o até mesmo a perda do site.

White Hat SEO

Coibindo as técnicas do Black Hat, o White Hat SEO propõe a utilização de estratégias inteligentes para que empresários possam obter sucesso na web sem infringir o conjunto de regras que definem a otimização de sites para mecanismos de busca.

Assim, trajar um chapéu branco define uma série de boas estratégias que poderão lhe proporcionar resultados sem prazo de validade, diferente do que ocorre com táticas negras.

Mas afinal, é possível afirmar que estratégias bem elaboradas respaldadas por white hat SEO garantem o sucesso de um site?

Em realidade, a resposta para esta pergunta é “não”. É preciso compreender que a Internet é um universo de forte concorrência e no mercado e-commerce sobressai aquele que organiza suas estratégias respaldado por inúmeras ações do marketing digital.

Portanto, se você ainda está meio perdido e não sabe como aplicar as técnicas de White Hat, aqui vai algumas dicas:

  • Title tag: criar títulos otimizados para seus conteúdos de forma que eles adequem aos termos mais buscados sobre o assunto influencia diretamente no posicionamento de sua página e site.
  • Palavras-chave: regrinha de ouro para qualquer estratégia de SEO, otimizar keywords pode trilhar o caminho do seu público-alvo direto para sua página. Entretanto, é preciso ter cuidado para não exagerar e adentrar o obscurantismo do black hat!
  • URL legível: uma URL bem desenvolvida influencia positivamente no posicionamento de sua página para os robôs indexadores. Portanto, abuse das palavras-chave dentro da própria URL e evite sempre que possível os códigos.

SEO On Page

SEO On Page

Se você possui um know-how mesmo que básico acerca do universo do marketing digital, já deve ter ouvido falar sobre como as estratégias de SEO são imprescindíveis para ter mais visibilidade online. Mas e seu eu te perguntasse sobre SEO on page? Você saberia me definir o que é e quais as suas vantagens perante a otimização de sites?

Visando alcançar bons rankings orgânicos e gerar mais tráfego e autoridade para sites ou blogs, o SEO deixou de ser uma mera tática de marketing para se tornar uma ferramenta indispensável para a sobrevivência no meio online.

É neste ponto que adentramos o SEO on page: consistindo num conjunto de esforços aplicados para otimizar páginas da web e dominar mecanismos de busca, o SEO on page trabalha na adequação de páginas da web para que elas fiquem adequadas aos fatores de rankeamento.

Partindo de um ponto de vista mais técnico e perpassando questões ligadas ao marketing de conteúdo, o SEO on page trata-se uma técnica vital para quaisquer estratégias do Marketing Digital, independente das metas que se pretende alcançar.

SEO On Page na prática

Dentro de apenas uma página da web, diversos componentes são responsáveis pela usabilidade e atração que o mesmo terá perante os mecanismos de busca e usuários. Neste sentido, vamos conhecer na prática como obter sucesso na Internet fazendo bom uso das técnicas de SEO On Page!

Conteúdo

No que diz respeito a escrever conteúdo para sites ou blogs com o objetivo de gerar tráfego qualificado e convertê-lo em leads e vendas, um dos aspectos mais importantes é o SEO On Page. Afinal, variados aspectos devem ser levados em consideração quando escrevemos artigos para nosso público-alvo.

Da análise e escolha de palavras-chave à otimização e densidade do conteúdo do texto, é preciso primeiro saber como otimizar conteúdo para SEO, pois, além de saber escrever um bom conteúdo relevante, é preciso considerar aspectos mais técnicos ligados ao SEO On Page.

Desta forma, de pouco vale escrever centenas de artigos para seu site, se ninguém consegue encontrá-los com facilidade quando realiza uma busca no Google. O que se torna uma perda de tempo para você.

Título e Descrição (title tag e meta description)

Definido em básico como o título da página de um site, a title tag é a primeira coisa que um usuário irá ler quando encontrar sua página nos resultados de mecanismos de pesquisas. Portanto, é importante que este título seja chamativo e atraente para seu leitor, indicando a ele o que aquele conteúdo em questão irá tratar.

Assim, profissionais do Marketing Digital aconselham acomodar a palavra-chave na title tag de forma que ela seja rapidamente identificada pelo usuário.

Por sua vez, a meta description trata-se do texto que aparece logo abaixo do título nos resultados de buscas, sendo usadas como forma de anúncio que ajuda a guiar o consumidor para acessar sua página. Assim, uma meta description bem elaborada pode aumentar significativamente o tráfego de visitante em seu site.

URL

Fator que tem grande peso quando pensamos em ranqueamento de páginas em grandes buscadores, as URLs são avaliadas por robôs de motores de busca de forma a identificar o assunto sobre o qual determinada página está tratando.

Deste modo, é importante sempre fazer uso de palavras-chave na URL, pois assim você a torna mais amigável aos robôs de ranqueamento e aos usuários.

Portanto, fica a dica: mantenha as URLs de suas páginas sempre curtas e sem números!

Links Internos

Apontando para outras páginas dentro de um mesmo site, os links internos facilitam a navegação de visitantes dentro do sítio eletrônico, redirecionando-o para artigos que contenham informações pelas quais ele busca e que se relacionam de alguma maneira com o artigo anterior.

Conhecida como uma estratégia presente dentro do SEO, a utilização de links internos melhora - como já dito - a navegabilidade do usuário e o mantêm por mais tempo dentro de seus domínios, melhorando, por consequência, seu posicionamento na web.

Texto Alternativo de Imagens (Alt Text)

Se você trabalha com blogs ou marketing na Internet com certeza conhece o conceito de palavra-chave para criação de conteúdo. Entretanto, saiba que este conceito não cabe única e exclusivamente para textos, afinal, a busca por imagens também acontece na web.

Neste sentido, trabalhar com a descrição de imagens criando texto alternativo (alt text) para elas pode ser imprescindível para o melhor ranqueamento das páginas do seu site ou blog. Assim, é importante entender que o Alt Text não se trata do titulo da imagem, mas sim da descrição de seus elementos visuais para melhor posicionamento nas pesquisas.

Featured Snippet (posição 0)

Em geral, quando realizamos uma pesquisa por determinado assunto no Google, é exibido para nós um box com um breve resumo do que você procura. Este resultado em destaque é o que chamamos de feature snippet, também conhecido como “posição 0”.

Com a ideia de responder de forma direta a pesquisa de usuários, o feature snippet otimiza a experiência de quem faz a pesquisa. Mas e para o responsável pela página? Quais são as vantagens?

Obviamente, estar na posição zero melhora o ranqueamento do site e o tráfego gerado, afinal, a página fica em destaque e acima de todos os demais concorrentes, sem você ter que apelar aos links patrocinados.

Neste ponto, tenho certeza que você deve estar se perguntando como alcançar a posição zero. Entretanto, saiba que não existe uma receita mágica para alcançar este destaque. Em resumo, é importante trabalhar conteúdos que ofereçam respostas objetivas e atualizá-los sempre que necessário, mantendo este conteúdo sempre o mais completo possível.

SEO off-page

SEO Off Page

A efetivação das estratégias de SEO depende de vários elementos que podem ser controlados. Fatores como: tamanho, links internos, palavras-chave, escaneabilidade e materiais complementares que influenciam diretamente na otimização e posicionamento dos sites e blogs de qualquer segmento do mercado.

Entretanto, se engana quem associa o posicionamento de uma empresa em resultados orgânicos apenas ao meio digital, afinal, fatores externos também são responsáveis pelo ranqueamento nos motores de busca.

Assim, as técnicas voltadas para a otimização em ambientes fora do alcance digital, dá-se o nome de SEO Off Page (fora de página, em tradução livre). Mas como isso acontece? Nós te explicamos!

Os algoritmos dos motores de busca orgânica são inúmeros e bastante complexos. O mais famoso deles, o Google, para se ter uma breve noção, conta com mais de 200 fatores de ranqueamento. De início fica evidente o quão complexo é compreender cada elemento.

Logo, fatores externos relacionados à links externos para sua loja, marca ou empresa são fundamentais para apresentar um melhor resultado. Apesar de pouco difundido o SEO off page é um trabalho que acontece majoritariamente fora do seu site/ blog, envolvendo metas e resultados que nem sempre é possível ter controle.

As estratégias off page ajudam os buscadores a identificarem o que os outros domínios pensam a respeito do seu. Portanto, essa técnica influencia diretamente no posicionamento do site.

O Google, considerado o maior buscador do mundo, valoriza muito as menções e links naturais vindos de outros domínios, afinal, isto demonstra como sua página produz e dissemina conteúdos com alto teor de relevância e como ela é considerada uma referência para outros sites e usuários.

Apesar de muito eficiente o SEO off page ainda é pouco utilizado. Estima-se que apenas 30% dos esforços de SEO são direcionados para as estratégias off page, enquanto o restante fica direcionado ao SEO on page.

Ademais, o SEO off page diz como a sua empresa, produto ou marca é vista pelo meio digital. Quando ela é mais linkada por outros sites importantes, mais ela agrega valor e autoridade à marca. O que por consequência, aumenta a posição nos rankings dos buscadores.

Presença de Marca

Provavelmente se você possui um negócio ou já pensou em abri-lo, já deve ter escutado a seguinte frase: “Se sua empresa não está presente no meio digital, ela não existe”.

Entretanto, apesar de verdadeira, existem algumas controvérsias nesta citação. Isso porque não basta apenas a empresa estar abrigada na internet. É necessário diversas outras estratégias que serão responsáveis pelo tráfego de usuários na página e, consequentemente, pelo aumento no número de clientes.

A presença da marca não aumenta necessariamente a autoridade do seu domínio Entretanto, tal produtividade online de fato ascende a confiança do Google e de outros buscadores perante sua empresa. Existem alguns fatores que influenciam na presença de marca, são eles:

  • Menções ao nome sem link em sites e portais;
  • Presença consolidada no Youtube;
  • Avaliação positiva de usuários no Google;
  • Uma base sólida e engajada de fãs nas redes sociais.

Ao receber uma menção ou um link que redirecione usuários para o seu site - principalmente quando falamos de sites populares e relevantes-, pode ter certeza de que não somente a presença da sua marca aumentará, mas a sua reputação como autoridade no segmento em que atua também.

Link Building

Toda empresa que está presente no Google busca um posicionamento que seja relevante na primeira página, afinal, são raras as vezes que algum usuário busca um resultado de sua pesquisa em outras páginas.

Deste modo, existem diversos fatores de ranqueamento desenvolvidos pelo Google que visam posicionar empresas e marcas na primeira página. As autoridades da página e de domínio estão entre os critérios mais importantes, mas outra que possui bastante destaque é o link building.

Traduzido vulgarmente como “construção de links”, o link building é caracterizado como um conjunto de técnicas que visa conseguir links para determinado site ou página com o intuito de gerar mais tráfego para um website de forma que ele se torne mais relevante na web e nos mecanismos de busca.

Mas afinal, qual a importância de gerar links para um site?

Desde os primórdios do Google, gerar links é uma boa maneira de ranqueamento, mas se antes a quantidade era o fator mais relevante, hoje o maior buscador orgânico do mundo preza, sobretudo, pela qualidade desses links que estão sendo gerados.

Para gerar links com relevância e qualidade, os especialistas em táticas de SEO destacam 6 técnicas:

Guest post

Se caracteriza como a produção de artigos para outros blogs como convidado, de forma que estes conteúdos contenham links que direcionem o leitor para o seu site. É importante ressaltar que o Guest Post não deve ser feito apenas com o objetivo de gerar links, é essencial manter um padrão de qualidade e incluir links que tenham sentido para o usuário.

Menções à marca

É comum sites citarem sua marca, serviços ou produtos sem incluir um link que direcione um possível lead para o seu site. Justamente por isso, é importante realizar o monitoramento destas menções, afinal, caso seja feita a citação sem um link, é possível entrar em contato com o responsável pela publicação para solicitar a inclusão.

Existem algumas ferramentas que alertam as menções de sua marca, como o Google Alerts. Vale a pena dar uma olhada!

Links quebrados

Links quebrados são links que estão desabilitados, pois em determinado momento foi retirado do site. Quando isso acontece o ideal é entrar em contato com o autor ou proprietário do site informando o erro e recomendando a troca pelo seu link, substituindo assim, o link quebrado.

Entrevistas com especialistas

Priorizando sempre a qualidade e originalidade de conteúdos, a entrevista com um especialista é sempre uma tática muito vantajosa, pois esta gera um conteúdo de alta relevância e ainda possibilita a geração de links dos próprios especialistas.

Pesquisas

As famosas pesquisas são essenciais para obtenção de resultados positivos, pois só por meio delas é possível descobrir os erros e acertos durante a otimização de um website. As pesquisas colocam você como referência, principalmente quando outros sites usarem as estatísticas levantadas na sua pesquisa, gerando assim, links.

Assessoria de imprensa

A assessoria de imprensa consegue proporcionar uma maior confiança e divulgação de sua empresa ou marca, por meio dela é possível emplacar notícias ou artigos em vários sites ou portais. E caso a assessoria de imprensa já trabalhe com link building as chances de gerar links em matérias já emplacadas é muito mais alta.

Nofollow

O nofollow é utilizado para avisar aos buscadores, como o Googlebot, que um determinado hyperlink não deve influenciar no ranqueamento do documento, ou seja, basicamente esse link é desconsiderado.

Pagerank

O Pagerank é uma ferramenta que mede numa escala de 0 a 10, a autoridade de uma página.Criada por Larry Page, um dos criadores do Google, em 1995 na Universidade de Stanford, a ferramenta calcula a quantidade, qualidade e relevância dos links recebidos por uma página.

Page Authority

Page Authority ou Autoridade de Página , trata-se da relevância de um website e sua capacidade de contribuir para a formação da autoridade de um domínio.

Cada página dentro de um website possui suas características próprias, consideradas autoridades, que podem ser utilizadas por outros sites em formato de link. Deste modo, dentro do contexto de um site, é essencial que cada página tenha sua relevância e autoridade, já que esses fatores são indispensáveis e determinantes para a geração de tráfego, cliques e conversões.

Para posicionar um website o Google precisa analisar o domínio como um todo e cada página é responsável pelo resultado. Afinal, o Google indexa páginas solo e não um site como um todo.

Domain Authority

Caracterizado por determinar a relevância de um site, o Domain Authority ou autoridade do domínio, diz respeito a força que um site inteiro possui em comparação a outras páginas concorrentes.

Assim, o Domain Authority baseia-se em uma série de fatores, entre os quais podemos citar a qualidade dos links externos, número de visitas, conversões, tempo de permanência nas páginas, etc.

Sua medição é feita pelo MozBar, um aplicativo gratuito que utiliza como métrica os fatores que acima citamos. Desta forma, quanto maior for a métrica, mais fácil será para o buscador priorizar essa página, entendo que ela apresenta um conteúdo mais relevante para o público.

Quando relacionado ao SEO, o Domain Authority age como uma espécie de parceria, funcionando como um meio complementar em projetos de otimização de mecanismos de pesquisa.

SEO on-site (ou SEO técnico)

SEO on-site (ou SEO técnico)

Conhecido também como SEO Técnico, o SEO on-site é a parte das melhorias dentro de um website, deixando um pouco de lado a produção de conteúdos, e levando mais em conta aspectos técnicos como características de programação, desempenho e usabilidade do site.

Basicamente essa parte da otimização de websites envolve tudo que possa ser melhorado na parte técnica, impactando e potencializando diretamente os resultados orgânicos. Portanto, é durante o desenvolvimento do SEO On-site que são desenvolvidas as estratégias que garantem que o rastreamento, indexação e renderização sejam eficientes e apresentem bons resultados.

É indispensável que o website desenvolvido possua uma base firme para que possa receber estratégias de SEO que gerem resultados positivos sem esbarrar em dificuldades técnicas,para que assim os usuários possam acessar a propriedade digital com facilidade.

Apesar das atualizações do Google darem mais prioridade para a qualidade do conteúdo desenvolvido, o SEO on-site auxilia, por exemplo, em fatores como a velocidade, carregamento e segurança, elementos esses que estão cada vez mais em alta e necessitam de atenção.

Vejamos a seguir os principais pontos de atenção quando tratamos de falar do SEO on-site:

UX (User Experience)

Basicamente o UX ou User Experience em SEO é toda a experiência e interação dos usuários com o seu site ou blog. Como assim?

Em resumo, o usuário precisa se sentir à vontade ao acessar o seu site, afinal isto influencia diretamente em métricas tais como taxas de rejeição, páginas visualizadas por sessões e tempo de usuário no site.

Ou seja, não basta apenas possuir um site, é importante propiciar uma melhor experiência ao usuário, pois sabemos que as métricas interferem diretamente no posicionamento orgânico do website seja de forma positiva ou negativa.

Existem alguns fatores que influenciam positivamente os acessos aos sites, como a escaneabilidade de textos marcado por parágrafos curtos, imagens, ilustrações e demais mídias que possam contribuir para deixar o conteúdo mais fácil, acessível e prazeroso para o usuário.

Quando tratamos de acesso à dispositivos móveis esse fator é ainda mais relevante, pois a experiência desktop não pode ser a mesma nos celulares. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Google 61% dos usuários tendem a abandonar uma página caso a experiência não seja positiva.

Justamente por isso é essencial monitorar os resultados que o site vem apresentado. Isso pode ser avaliado por meio de métricas de engajamento, como o Google Analytics, um mecanismo capaz de identificar a taxa de exibição e hit de uma página, localização geográfica do visitante, forma com a qual chegou na página e diversos outros fatores que irão lhe guiar a estratégias eficazes para o crescimento do seu negócio em ambiente virtual.

Velocidade de Carregamento da Página

Como já citado anteriormente, o Google utiliza analisa diversos fatores para ranqueamento de websites. Assim, já no ano de 2010 a maior empresa de busca orgânica do mundo - o Google- anunciou que o tempo de carregamento de uma página seria um fator de posicionamento.

Inclusive, a velocidade de sites nos dispositivos móveis começou a afetar os posicionamentos orgânicos nas buscas feitas em celulares a partir de 2018, atualização essa conhecida como “The Speed Update”.

Veja a seguir alguns dados coletados que comprovam como o tempo de carregamento pode ser um fator determinante no posicionamento do seu website:

  • 53% dos usuários mobile abandonam o site se a página demora mais que 3 segundos para carregar (fonte: Google)
  • 83% dos usuários esperam que um site carregue em 3 segundos ou menos (fonte: WebpageFX);
  • Cada 1 segundo de melhoria na velocidade da página aumenta em 7% às conversões (fonte: WebpageFX).

Ademais, o tempo de carregamento de um website não afeta apenas o posicionamento do mesmo, mas consequente proporciona efeitos negativos durante a experiência dos usuários.

HTTPS

Em 2014 o Google anunciou que o HTTPS (Hyper Text Transfer Protocol), ou em tradução livre “Protocolo de Transferência de Hipertexto Seguro”, se tornaria um fator de ranqueamento para os sites.

Com esta mudança os dados enviados são autenticados, criptografados e não podem ser modificados durantes suas transferências, o que garante mais segurança aos usuários. Uma vez que páginas sem HTTPS são conhecidas pelo Google como “sites não seguros”.

Mas afinal, o que é o HTTPS ou Protocolo de Transferência de Hipertexto Seguro?

Combinação dos protocolos HTTP e SSL (Secure Sockets Layers), o HTTPS aparece antes do endereço eletrônico do site que o usuário deseja acessar (URL), garantindo assim mais segurança de navegação e conexão de dados entre o computador do usuário e os servidores que abrigam os sites acessados.

Diferenciado por sua comunicação criptografada em comparação ao protocolo HTTP, o HTTPS evita tentativas de roubo de informações e dados pessoais durante a transmissão entre o computador do usuário e os servidores dos sites.

Entretanto, é importante ressaltar que caso você migre seu site para HTTPS, o Google e todos os buscadores vão considerá-lo um novo site. Deste modo, para evitar a duplicidade é necessário redirecionar todas as URLs antigas em HTTP para HTTPS.

A seguir estão alguns passos para a migração para HTTPS:

  • Obter um certificado SSL;
  • Validar suporte HTTPS de recursos externos;
  • Planejar e preparar a migração de protocolo;
  • Habilitar protocolo HTTPS e instalar o certificado SSL;
  • Atualizar recursos e links internos para HTTPS;
  • Atualizar recursos externos para HTTPS;
  • Adicionar a versão HTTPS no Google Search Console;
  • Habilitar suporte HTTP/2;
  • Habilitar HSTS.

Sitemap

O Sitemap, como o próprio nome já supõe é o mapa do seu site. Sua função se restringe a facilitar o trabalho dos robôs buscadores no procedimento de compreensão da estrutura do site, destacando quais as páginas que deseja indexar e armazenar nos servidores.

Quando você faz um mapa, a intenção é justamente tornar o site mais tangível para o Google, vasculhando seu conteúdo com mais qualidade e entendendo sua estrutura.

Por meio do mapa do site é possível compreender como ele está estruturado e quais URLs preferencialmente devem ser indexadas pelo robô de busca. Assim, você cria assim uma comunicação mais eficiente com o Google e dá um norte para que ele possa priorizar as páginas que estão listadas dentro desse arquivo.

Robots.txt

Para que seu site aparece nos principais mecanismos de busca orgânica é necessário a utilização de uma série de estratégias de marketing digital, como SEO e marketing de conteúdo. Deste modo, é possível aumentar o tráfego de usuários no site e transformar visitantes em clientes;

Porém há páginas de seu site que você não deseja que sejam rastreadas pelas ferramentas de busca, tais como páginas de login e outros arquivos que sejam de acesso exclusivo de funcionários ou clientes.

Assim, se você deseja ocultar estas páginas e fazer com que elas não aparecem em resultados orgânicos, saiba que já existe uma ferramenta com este propósito. Conhecido como robots.txt, esta espécie de arquivo que deve ser salvo na pasta raiz do seu site, indica para os robôs de busca de mecanismos de pesquisa, como o Google, Yahoo e Bing, quais páginas de seu site você deseja que não sejam acessadas por estes mecanismos de pesquisa.

Como o próprio nome já supõe, o robots.txt é um arquivo no formato txt que pode ser criado de maneira prática no próprio bloco de notas de seu computador, excluindo a necessidade de outro tipo de ferramenta para sua criação.

O robots.txt utiliza um conjunto de comandos que são usados pelos robôs de busca, como o formato Protocolo de Exclusão de Robôs padrão, que os diretórios e páginas e seu site não devem ser acessados por eles.

Como já mencionado anteriormente o robots.txt serve para dar ordens específicas para robôs de busca de mecanismos de pesquisa orgânica, a seguir apresentaremos algumas funções específicas:

  • Controla o acesso a arquivos de imagem: o robots.txt consegue impedir que as imagens presentes em seu website sejam exibidos nos resultados de busca. Com isso, os usuários terão a obrigação de acessar a sua página, o que pode ser um adendo muito interessante para sua empresa.
  • Controla o acesso às páginas da web: sua página é composta pelas próprias páginas da web presentes nela, com o robots.txt é possível evitar que o servidor que hospeda seu site fique sobrecarregado com os acessos dos robôs de busca.
  • Bloquear acessos a arquivos de recursos: o robots.txt também pode ser útil para bloquear o acesso a outros arquivos de script e de estilo menos importante, poupando assim, os seus servidores.

Além de ser muito seguro, o robots.txt é a forma mais recomendada e garantida de um conteúdo não ser indexado nos buscadores.

Heading tags

Provavelmente você já deve ter ouvido alguém falar acerca dos códigos H1, H2 e H3, mas não sabe exatamente sobre o que estes termos tratam, estou certo? Pois então, deixa que eu te explico!

Já sabemos que o Google privilegia cada vez mais a experiência de navegação do usuário. Portanto, o foco das maiores corporações do mundo é oferecer conteúdo de qualidade para seu público-alvo. Por isso, os websites têm se preocupado cada vez mais com o desenvolvimento de páginas organizadas, que promovam uma fácil leitura e manuseio.

Em geral, uma página sistematiza precisa ser divida em partes usando títulos e subtítulos, a fim de tornar a leitura mais agradável para os visitantes do site Mas, é normal a dúvida ainda persistir, afinal, o que os códigos H1, H2 e H3 tem haver com isso?

De forma bem didática funciona assim:

  • H1 é a palavra-chave da ideia principal.
  • H2 são as palavras-chave do elemento da ideia principal.
  • H3 é utilizado para dividir os elementos ainda mais, facilitando assim, o entendimento e visualização, tanto de pessoas, quanto de robôs.

Todos esses passos criam uma estrutura de informação coerente.

Para utilizar as heading tags é importante seguir uma hierarquia, ou seja, o H1 sempre terá mais importância, podendo ser utilizado mais de uma vez ao longo de uma página, contanto que a página não seja cheia delas.

O resto da tag headings são divididas em H2, H3, H4, H5, H6, sendo a H6 a de menor relevância. Assim, podemos afirmar que a hierarquia presente na tag heading é semelhante a divisão feita em manuais e trabalhos acadêmicos, como podemos ver a seguir:

1. – H1

1.1 – H2

1.2 – H2

1.2.1 – H3

1.2.2 – H3

1.3 – H2

Portanto, a heading tags é uma importante estratégia de SEO, que muitas vezes acabam sendo ignoradas, afetando o resultado de otimização de websites. É por meio delas que os robôs dos buscadores compreendem o assunto principal da página (palavra-chave), visto que ela estará presente em uma parte importante do texto.

Rich snippets

Apesar de poucas pessoa saberem o que é Rich snippets, todo mundo que já fez uma simples pesquisa no Google já se deparou com um mesmo sem perceber. Quando um usuário faz uma pesquisa no buscador é exibido um resumo de páginas, que basicamente é composto pelo seu título, URL e descrição. Isso é um Snippet.

Traduzido vulgarmente como “fragmento de risco”, os Rich Snippets forma introduzidos somente no ano de 2009 nos resultados de busca do Google, como o objetivo de informar ao usuário sobre o que ele irá encontrar ao clicar no link.

Elemento valioso para páginas da web, o rich snippet é responsável por expôr, por exemplo, avaliações dos usuários, seja para um restaurante ou hotel, que aparecem em forma de estrelas nos resultados das buscas. Outros exemplos são os comentários e fotos do local.

Esse elemento fornece benefício não apenas para os usuários, mas também para o buscador, uma vez que este fragmento ajuda a identificar informações relevantes, oferecendo uma experiência de busca mais satisfatória. Enquanto para os usuários fornece informações adicionais sobre a página, ajudando a definir qual o melhor resultado antes mesmo de clicar no link.

De acordo com pesquisas recentes, resultados que utilizam rich snippets tem um aumento de em média 30% na taxa de cliques, o que consequentemente promove mais tráfego e influência no posicionamento orgânico da página.

Erro 404

Com certeza você já deve ter visto a seguinte frase em alguma página da web: “A página que você tentou acessar não existe.” Essa frase, em geral, vem acompanhada de “Erro 404”. Mas afinal, o que significa isso?

O Erro 404 ocorre quando existe a tentativa de acessar uma página de um domínio existente que foi excluída, teve sua URL alterada ou que nunca existiu. Quando pensa-se em um website é sempre importante realizar qualquer atividade ou modificação pensando em conteúdos que ofereçam uma boa experiência ao visitante, até mesmo na página “Erro 404”.

Existem alguns fatores que são responsáveis por amenizar o inconveniente do Erro 404, como redirecionamentos para conteúdos semelhantes, campo de busca ou materiais educativos lançados como sugestão para o visitante, entre outros.

Confira a seguir algumas dicas que você pode usar para resolver o Erro 404:

  • Atualize a página: em vários casos a simples ação de atualizar a página pode implicar na resolução do problema.
  • Verifique a URL e a extensão: apesar de parecer óbvio, é importante verificar se a URL e a extensão do site que você quer acessar estejam digitados corretamente no navegador.
  • Limpe o cache do navegador: em função dos dados já armazenados em cache no seu navegador pode ser que um site ou página não abra corretamente ou apresente algum erro por incompatibilidade.
  • Aplique um anti-malware: proteja seu dispositivo para evitar que algum malware (vírus) impeça o funcionamento do seu navegador que você utiliza para acessar a internet.
  • Altere as permissões de acesso e links permanentes: em alguns casos é possível que determinados arquivos ou páginas apresentem restrições de acesso.Você pode tentar liberar as permissões para acesso de todos os usuários, como meio para solucionar o Erro 404.

Ademais, tais atitudes proporcionam uma navegação tranquila para o usuário, evitando que esse tipo de erro ocorra em seu website!

Redirecionamentos

Os redirecionamentos funcionam como uma forma de indicar que determinado site ou blog mudou de endereço na internet, evitando que seus visitantes fiquem perdidos e deixem de consumir seus conteúdos.

Vamos entender como funciona: com o redirecionamento, a configuração do servidor de acesso URL A será redirecionado para a URL B, deste modo você pode usar o redirecionamento 302 ou 301, que são por sinal os mais utilizados e indicados.

Ao optar pelo redirecionamento 302 é importante saber que ele é caracterizado como temporário, assim este formato mostra aos buscadores que você está realizando algumas modificações e melhorias na sua URL A, e justamente por isso, no momento você está redirecionando os usuários para a URL B, mas esclarecendo que em breve essa adversidade será desfeita.

Por sua vez, quando falamos em redirecionamento 301, esse formato é caracterizado como definitivo, indicando aos buscadores que já podem considerar apenas a página nova, tanto que a autoridade da URL antiga também será direcionada para a nova.

Canonical tag

De forma bem didática, a Canonical tag tem como função indicar o website principal em caso de duplicidade.

Lançado em meados de 2009, este recurso busca dar fim aos conteúdos duplicados, evitando que eles sejam indexados pelos algoritmos do Google. Isso porque, os algoritmos de busca repudiam a duplicação de conteúdo, pois estes induzem o mecanismo a pensar erroneamente que o site possui tráfego e relevância maior do que a realidade.

Portanto, indicar ao Google ou outro buscador que muitas páginas possuem conteúdo idêntico e apontar a página de origem é chamado de “canonicidade”. Ou seja, a Canonical Tag serve como uma espécie de marcação para que os algoritmos entendam que aquela página é uma réplica de outra e não a indexem da mesma forma.

Sendo utilizada quase da mesma forma que o redirecionamento 301, no qual você indica para o algoritmo ir para outra página, a Canonical tag, entretanto, funciona apenas para os buscadores, permitindo assim, que você leve visitantes para aquela página.

Deste modo, você permite que o usuário possa acessar aquela página duplicada, porém você não permite que a página seja indexada. Concedendo assim, que a Canonical tag funcione como uma forma de otimizar seu SEO sem prejudicar a experiência de uso dos visitantes.

Ademais, a Canonical tag deve ser utilizada toda vez que seu site criar múltiplas versões de um mesmo conteúdo, como nas páginas em que exista pequenas alterações na URL, por exemplo. Desta forma, você evita que os mecanismos de busca vejam elas como conteúdo duplicado e repassem toda a autoridade para um link único.

Alternate tag

A Alternate tag funciona como uma solução para quem possui uma versão de site para dispositivos móveis, isso porque os buscadores entendem que esta versão trata-se de um outro site com conteúdo similar, o que pode ocasionar em problemas relacionados a conteúdo duplicado.

É possível evitar isso utilizando a alternate tag na versão desktop das páginas. Por meio desta forma você indica ao mecanismo de busca que o website possui uma versão exclusiva para dispositivos móveis, devendo ser incluída na página do site mobile um canonical tag para a versão desktop.

A Alternate tag também pode ser utilizada para outro tipo de aplicação, como em sites com idiomas diferentes, indicando assim, aos buscadores qual a versão ideal do conteúdo para cada idioma. Mas, para a aplicação efetiva da tag é importante que todas as páginas envolvidas possuam o código configurado.

Entretanto, incluir esse tipo de marcação não irá garantir que o posicionamento de seu site em um país será replicado para outros ou que não seja considerado conteúdo duplicado.

SEO para dispositivos móveis (Mobile SEO)

SEO para dispositivos móveis (Mobile SEO)

Nos últimos anos, observamos que o Google tem focado demasiadamente em atualizações de seus algoritmos, o que impacta diretamente - seja de maneira positiva ou não - em sites que utilizam técnicas de SEO para se manter bem posicionados nos resultados de buscas orgânicas.

De fato, ainda é possível a afirmação de que a base primordial do SEO continua sendo a aplicação das otimização on-page e off-page, afinal, sem conteúdos de qualidade e relevância e a inserção de backlinks, é quase impossível se manter à frente da concorrência.

Entretanto, com o uso de smartphones crescendo de forma estrondosa, é necessário que empresas responsáveis pela manutenção de sites e blogs ampliem seus horizontes, incluindo em suas estratégias de Search Engine Optimization, o SEO para dispositivos móveis, conhecido tecnicamente pelo nome de Mobile SEO.

Atuando como uma vantagem competitiva para empresas no mundo Mobile-Friendly, a otimização de sites para dispositivos móveis nada mais é se não a adaptação de sítios eletrônicos, do design, bem como do conteúdo intrínseco a ele para diferentes plataformas e tamanhos de tela.

Assim, cabe aqui o questionamento: o site de sua empresa já está preparado para a navegação mobile? Todas as informações e funções podem ser facilmente acessadas por smartphones?

Se a resposta for sim, meus parabéns. Agora, se você ficou em dúvida e acha que a resposta para esta pergunta pode ser negativa, continue nos acompanhando que vamos te explicar tudo sobre a renderização correta do seu site para dispositivos móveis. Vamos lá!

Site Responsivo x Site Mobile

Dependendo de como se configura a estrutura do seu site ou blog. a forma como ele será modificado de maneira a se encaixar perfeitamente ao manuseio em dispositivos móveis irá variar. Podendo ele pender para o que chamamos de site mobile ou para o site responsivo.

Não está entendendo nada, não é? Calma que aqui explicamos o que é cada um para que você não fique perdido!

Em suma, um site mobile trata-se de um site pensado e desenvolvido somente para dispositivos móveis. Desenvolvida como uma primeira solução encontrada por empresas que perceberam a importância deste tipo de acesso, o site mobile vem perdendo força e espaço para os sites responsivos.

Entretanto, eles ainda possuem algumas vantagens que o fazem ser a principal escolha de algumas empresas. Em primeiro lugar, o site mobile, por ser exclusivo para dispositivos móveis, permite uma melhor experiência de navegação para usuários. Em segundo lugar, o custo de criação de um site mobile é baixado, pois não há necessidade de readaptação do site atual.

Por sua vez, os sites responsivos definem sítios eletrônicos que se adaptam a qualquer tamanho de tela de dispositivos eletrônicos, sendo, portanto, muito mais flexível se comparado a solução pioneira em mobile friendly.

As vantagens do site responsivo? Vamos iniciar pela mais óbvia: no site responsivo não há necessidade de manter duas bases diferentes de códigos, imagens e demais fatores que compõem um site, assim temos em um único site toda a informação precisa podendo ser acessada por qualquer dispositivo.

Um segundo benefício deste tipo de site, encontra-se no barateamento e simplicidade de manutenção de códigos, afinal, estamos aqui tratando de códigos iguais. O que já não acontece com os sites mobile.

Mas afinal, em qual site é mais interessante que você invista? Para escolher adequadamente entre um e outro, é preciso pesar na balança os prós e contras de cada um, assim como levar em conta as necessidades do seu negócio e orçamento de que você dispõe.

AMP (Accelerated Mobile Pages)

Dispositivo relativamente novo que promove o aceleramento de páginas feitas para dispositivos móveis, o AMP (Accelerated Mobile Pages) é essencial para qualquer empreendedor que investe em conjunto de técnicas de SEO para alavancar os seus negócios.

Cada vez mais frequente no vocabulário daqueles que fazem uso do Marketing Digital, o AMP atua como um código aberto que visa melhorar o desempenho de navegação na internet móvel.

Funcionando como uma espécie de camada extra em sites de forma que as páginas de conteúdo sejam servidas para o usuário de forma acelerada, o Accelerated Mobile Pages é benéfico também para empresas que mantêm sites e blogs ativos na Internet. Afinal, este dispositivo melhora a experiência do visitante perante seu site.

Por consequência, empresas que aplicam o AMP vêm a longo prazo um aumento significativo de tráfego em suas páginas proporcionadas por este aceleramento. O que explica de certa forma o aumento expressivo da integração desta tecnologia em estratégias digitais das mais variadas empresas.

Oferecendo uma boa experiência de consumo de conteúdo para seus usuários, o AMP é mais uma inovação do Google que irá te ajudar a conquistar posições no buscador mais utilizado da atualidade.

SEO local

SEO local

A pesquisa por produtos e serviços através de dispositivos móveis é uma realidade da qual cerca de 86% dos usuários de smartphone participam, segundo apontou uma pesquisa feita pelo Google no ano de 2019.

Em meio a este cenário, ter um site responsivo ou mobile em posições de destaque por buscas orgânicas é indispensável a empresas que visam atrair potenciais clientes e transformar leads em consumidores.

Nesse sentido, as técnicas de SEO Local são grandes aliadas de empresas de micro, pequeno e médio porte que buscam formas de serem encontradas com facilidade em buscas no Google, usando como base a localização do negócio.

Visando outras alternativas de otimização, o SEO Local permite que um usuário que busca por “salão de beleza”, por exemplo, encontre uma solução deste serviço perto do local no qual ele se encontra, tendo mais facilidade de acesso ao serviço pelo qual pesquisou.

Entretanto, suponhamos que você está buscando um salão de beleza próximo a sua residência, porém está realizando esta pesquisa em seu ambiente de trabalho. Com o SEO Local basta que você pesquise por “salão de beleza Morumbi”, por exemplo, e o Google irá lhe apresentar os resultados mais relevantes da busca.

Desta forma, é possível compreender que o SEO Local é extremamente benéfico tanto para os usuários, quanto para empresas e comércios de pequeno porte. Portanto, vamos agora conhecer algumas vantagens desta estratégia de SEO para o seu negócio:

  • Visibilidade facilitada a potenciais consumidores;

  • Aumento nas vendas e prospecção de novos clientes;

  • Credibilidade perante o público.

Mas afinal, como você pode aproveitar essa estratégia que está sendo amplamente utilizada no Marketing Digital para obter melhores resultados para o seu negócio? Conheça a seguir duas táticas quase unânimes entre especialistas que fazem uso do SEO Local!

Google Meu Negócio

Plataforma gratuita que possibilita que empresas efetuem cadastro para que seu negócio seja divulgado quando for realizada uma pesquisa no Google Maps e no Google+, o Google Meu Negócio trata-se de um modelo otimizado para a apresentação de produtos e serviços pelos quais determinado usuário pesquisou.

Entretanto, mais do que simplesmente constar informações sobre o produto em si, a apresentação fornece ao usuário informações importantes sobre a empresa, tais como: endereço de e-mail, site, telefones, horário de funcionamento, fotos e comentários de clientes.

Funcionando como um verdadeiro cartão de visitas para seu público-alvo, o Google Meu Negócio é uma ferramenta que proporciona a popularização de marcas em ambiente digital, uma maior interação com potenciais clientes, além de passar mais credibilidade para seu público e aumentar as suas chances de fechar novos negócios.

Palavras-chave locais

Suponhamos que você tem um negócio de bolos caseiros em Embu das Artes - São Paulo e decide fazer uso do SEO Local para atrair mais clientes e vender mais bolos. Para isso, você irá precisar fazer uso das palavras-chave mais buscadas por usuários da sua cidade.

Portanto, o seu primeiro passo será buscar no Google pela palavra-chave “bolos caseiros” de maneira ampla e observar quais resultados de sua busca tiveram mais destaque. Assim, você poderá fazer um brainstorm de palavras-chave mais efetivo para o seu negócio sempre de forma a acrescentar junto a palavra-chave, a região onde você se encontra, tal como “bolos caseiros em Embu das Artes”.

Pesquisa de palavras-chave: mandando bem no SEO

Pesquisa de palavras-chave: mandando bem no SEO

Quando o assunto é SEO, é impossível não falarmos da pesquisa de palavras-chave, afinal, esta é de longe a principal ferramenta de um profissional de marketing digital, pois não é possível executar estratégias de sucesso sem ter como base a análise e utilização de palavras-chave.

Assim, é possível afirmar que quaisquer empresas que alcançaram sucesso na Internet, com certeza se utilizaram e utilizam de palavras-chave para atingir seus objetivos. Enquanto que aquelas que não fazem uso desta estratégia, dificilmente verão os frutos vindouros de sua tentativa de marketing.

Mas vamos então a pergunta fatídica: o que é uma pesquisa de palavra-chave?

Para obter tráfego orgânico para seu site ou blog, é indispensável a publicação de conteúdo com periodicidade e que esteja relevante ao público que você pretende atingir. Até aqui tudo ok, mas você sabe como de fato as pessoas encontram o seu conteúdo?

Antes de obter acesso a sua página, é preciso que o usuário possua uma dúvida, problema ou necessidade que deseja sanar. É neste ponto, que a palavra-chave poderá funcionar como um grande impulsionador do seu conteúdo.

Neste sentido, é essencial que você conheça muito bem as personas do seu negócio e realize pesquisas de palavras-chave para encontrar as que mais se destacam e são procuradas dentro do seu nicho.

Sendo assim, podemos afirmar que estas pesquisas nada mais são do que uma definição de temas pelos quais o seu público-alvo se interessa e com os quais você irá trabalhar em seu blog ou site.

Suponhamos, portanto, que você possui uma empresa de prestação de serviço para instalação de redes de proteção. Por se tratar de um mercado extremamente competitivo, mais do que apenas criar conteúdos a esmo, você precisará definir seus objetivos e alinhá-los ao seu planejamento de criação de conteúdo com foco no uso de palavras-chave.

Portanto, cabe realizar uma breve pesquisa no Google com o termo “redes de proteção” e observar quais resultados orgânicos aparecem com mais destaque nos resultados de pesquisa. São estes temas e demais que você considerar importante para o seu negócio que deverão ser o seu foco!

Passo a passo da pesquisa de palavras-chave

Passo a passo da pesquisa de palavras-chave

Vejamos agora um passo a passo de como você pode fazer a sua própria pesquisa e colocar de vez a mão na massa!

  • 1°passo: Defina os principais termos do seu negócio.

Utilizando o exemplo da empresa de redes de proteção, provavelmente os termos que mais irão importar são “redes de proteção para apartamentos”, “redes de proteção para sacadas”, “redes de proteção para janelas” e demais termos pelas quais os potenciais clientes mais podem vir a demonstrar interesse.

  • 2°passo: Escolha as ferramentas de SEO que você irá utilizar.

Keyword Planner, SEMRush, Keywordtool.io… muitas são as opções de ferramentas de Search Engine Optimization que podem te ajudar nesta empreitada de identificação e análise de termos que possam ser benéficos para seu negócio.

  • 3°passo: Remova os termos insignificantes para o segmento no qual você atua.

Neste momento posterior a escolha das ferramentas, você já terá uma planilha bem alimentada com os termos mais relevantes. Agora chegou a hora de fazer uma triagem para remover certos termos duplicados e que não fazem sentido para o seu empreendimento.

  • 4°passo: Descubra o volume de buscas orgânicas de cada palavra.

Até este ponto, falamos especificamente da escolha dos termos que você irá utilizar. Deste momento em diante, vamos estender um pouco mais as ideias, pois agora é importante pesquisar pelo volume de buscas orgânicas de cada termo e definir prioridades de criação.

Para isso você poderá utilizar ferramentas como: RD Station, SEMRush e Keyword Planner!

  • 5°passo: Avaliando sua posição no Google.

Com as ferramentas acima citadas, é possível descobrir o ranking atual do seu site para cada termo, o que será importante no futuro para a tomada de alguma decisões e avaliações do potencial de cada termo como propulsor da sua marca.

Os tipos de palavras-chave

Neste momento você pode estar pensando: “será que todas as palavras-chave são iguais ou existe diferença entre elas?”

De fato existe mais de um tipo de palavras-chave, mas fique tranquilo. As diferenças são perceptíveis e, uma vez que você conseguir entender o conceito, garantimos que o trabalho com a pesquisa de palavras-chave ficará muito mais simples.

Head Tail

Caracterizadas por possuírem um maior volume de buscas mensais para um determinado nicho, as head tail keywords são termos mais curtos com significados amplos.

Seguindo, portanto, o exemplo de redes de proteção, uma head tail seria simplesmente “redes de proteção”, afinal, tratamos aqui de pessoas que desejam comprar este produto mais ainda não optaram por marcas, modelos, estando, portanto, longe de fechar uma compra.

Long Tail

Em oposição, encontraremos como segundo tipo de palavras-chave as chamadas long tail keywords (em português, cauda longa).

Consideradas a verdadeira chave do sucesso do marketing de conteúdo, estas palavras-chave mais longas, tratam-se de termos específicos destinados a usuários que já sabem o que querem e provavelmente estão em busca da melhor loja para fechar negócio.

Com isso, podemos dizer que a long tail possui uma maior taxa de conversão de leads em clientes. Portanto, um exemplo prático ainda relacionado às redes de proteção seria a pesquisa por “redes de proteção em polietileno para sacadas”.

Conseguiu sacar a diferença entre estes dois tipos de palavras-chave? Agora você já pode pensar qual destas é mais interessante para suas estratégias de Marketing Digital e aplica-lás na divulgação da sua empresa!

Como fazer uma otimização de website em 5 passos

Você sabe dizer em que posição o seu site se encontra no Google? Se você nunca se preocupou muito com o posicionamento do seu website na Internet, sinto informar que já passou da hora de você incluir estratégias que objetivem um melhor posicionamento da sua página em grandes buscadores!

Afinal, se a sua empresa não se encontra entre as primeiras posições na página de resultados, a otimização de sites será uma técnica fundamental para resolver esta situação de forma a atrair potenciais consumidores para o seu site através, é claro, de resultados orgânicos.

  • Arrume a casa (diagnostico do site e checklist de melhorias)

O primeiro passo para garantir um site bem posicionado nos buscadores de pesquisa orgânica por meio da otimização, é deixar tudo arrumado, ou seja, estruturar o website para que ele possua as melhores técnicas e estratégias de SEO.

Você pode começar comparando seu site com seu principal concorrente, através de uma análise de desempenho de SEO. Verificando fatores como: URLs, titles, descriptions, robots e qualquer outro fator que possa influenciar a otimização de seu site.

  • Cadastre seu site no Google Search Console, Bing Webmasters e Google Meu Negócio

Com tantos tipos de ferramentas de SEO para divulgar de forma eficiente sua marca na Internet, sabemos que pode ser difícil optar por uma ou outra. Entretanto, precisamos ter em mente que nem todas as ferramentas de SEO presentes no mercado possuem exatamente o mesmo objetivo, afinal, enquanto umas atuam em etapas bastante específicas, outras são mais abrangentes quanto as técnicas de Search Engine Optimization.

A fim de guiar você nesta incrível jornada em busca do sucesso do seu negócio em ambiente virtual, trouxemos aqui três ferramentas intrínsecas a otimização de sites e extração de dados que podem lhe ajudar (e muito!) a alavancar sua empresa, fazendo com que você se torne autoridade no segmento em que atua. Vamos lá!

Se você busca uma poderosa ferramenta que análise com precisão o comportamento dos usuários em seu site e lhe mostre como os buscadores enxergam suas páginas, o Google Search Console é a sua melhor opção!

Disponibilizado gratuitamente desde 2015 pelo Google, esta ferramenta - antigamente conhecida como Webmaster Tools - é amplamente utilizada por especialistas em SEO, pois tem dentre suas funcionalidades a capacidade de identificar como o Google lê cada parte das páginas (títulos, descriptions, imagens, etc);

Além disso, o Google Search Console é capaz de lhe mostrar o que as pessoas estão procurando no Google quando navegam pelo seu site. Ademais, identifica o desempenho do Google em indexar as páginas do seu site e identificar as palavras-chave que mais aparecem, entre demais funcionalidades essenciais para o seu negócio.

Por sua vez, a ferramenta da Microsoft conhecida como Bing Webmasters, pode-se afirmar tem tido como inspiração o Google Search Console. Entretanto, sobre o Bing, muitos especialistas em SEO afirmam ser esta ferramenta mais robusta e completa em funcionalidades em comparação ao Search Console do Google.

Mas por que é importante que você também invista no cadastro de seu site no Bing Webmasters? Apesar de sua baixa adesão, esta ferramenta apresenta ricos relatórios de análise SEO para que você possa otimizar e melhorar aspectos do seu site com mais sabedoria.

Discorrido, portanto, acerca de duas ferramentas essenciais para alavancar seus negócios na web, chegou a hora de falar da ferramenta gratuita mais conhecida quando pensamos em SEO Local.

Criada a pouco mais de cinco anos, o Google Meu Negócio é destinado ao cadastramento de empresas - assim como as já citadas acima - a fim de que estas alcancem uma ótima exposição nos resultados de pesquisas do buscador, assim como também no Google Maps.

Agora que você tem acesso aos benefícios e funcionalidade destas três ferramentas, é importante avaliar os benefícios que elas terão perante ao seu negócio. Portanto, comece a utilizá-las hoje mesmo e aprimore suas técnicas de SEO para alavancar sua marca em ambiente digital.

  • Mapeie suas personas e a jornada do cliente

Mapear a jornada do cliente nem sempre é uma tarefa fácil, entretanto, esta técnica vem se mostrando extremamente importante no sentido de fortalecer a experiência de consumidores perante empresas.

Neste sentido, o mapeamento de jornada busca identificar, em linhas gerais, o caminho que seu cliente percorreu desde a primeira interação com a sua marca até a decisão e finalização de compra do produto, considerando ainda as experiências vividas por este em todos os pontos de contato.

Para dar início a um projeto de mapeamento, entretanto, é preciso conhecer o principal objeto de sua pesquisa: seu cliente!

Mas afinal, como saber quem exatamente é o seu público-alvo?

Quando desenvolvemos conteúdos para sites e blogs, por exemplo, é indispensável a criação de uma persona para direcionar os temas de seus conteúdos com mais facilidade e expertise. Portanto, podemos entender a persona, como a definição do cliente típico de sua marca, com características bem definidas!

Representando de forma fictícia o cliente ideal de sua empresa, o mapeamento de personas baseia-se em dados reais sobre comportamentos e características demográficas dos seus reais clientes, apresentando a criação de uma história pessoal, motivações, objetivos, anseios e preocupações deste personagem.

Assim, bem compreendido o perfil de sua persona e mapeado a jornada do cliente, você possibilita que sua empresa desenvolva ações mais específicas para cada uma das etapas que levaram o consumidor a compra, criando com ele uma relação de maior confiança e autoridade no segmento.

  • Otimize o que já tem e crie para o que não tem

Esse passo tem como objetivo a otimização de conteúdos que já existem dentro do seu website, mas que não possuem estratégias novas e atualizadas de SEO. Por meio da atualização é possível conseguir um ranqueamento no Google, de forma que seus conteúdos apresentem mais qualidade e relevância.

Para tal revisão basta selecionar os conteúdos mais antigos e analisar alguns fatores, como: palavras-chave encontradas na pesquisa, otimização da meta description, title tag, URL, linkagem interna e externa, dentre outros atributos que propiciam um site mais completo que agrade ao usuário e sobre os quais já trabalhamos neste guia completo de SEO.

Além disso, é importante se atentar a criação de novos conteúdos, pois, apesar de exigirem mais esforço, tempo e pesquisa, esta tarefa é essencial para que suas páginas possam se manter sempre em destaque.

Desta forma, é possível desenvolver conteúdos com mais relevância, que atinjam um número maior de usuários.

  • Faça a pesquisa de palavras baseadas nas personas e em suas jornadas

Como já citado anteriormente, as famosas keyword, são estratégias de SEO fundamentais para o bom ranqueamento de qualquer site, não dispensando, contudo, é claro a utilização dos outros fatores de ranqueamento. Entretanto estas palavras-chave possuem um papel muito importante nas estratégias de otimização.

Portanto, é de extrema relevância optar por palavras-chave com base nas personas e na jornada de compra de seu produto, serviço ou marca. É importante ressaltar que persona não é a mesma coisa que o público-alvo.

A persona é a representação de um cliente ideal fictício. É formada a partir da análise de comportamento e características reais de seus clientes, as informações abordadas são mais elaboradas, com definições específicas, transparecendo assim, a imagem do consumidor.

Com esse tipo de análise é possível produzir conteúdos mais precisos e relevantes. Ademais, as palavras-chave são uma ótima estratégia para o processo de produção de conteúdo e, consequentemente, o processo de ranqueamento. O que gera um tráfego maior para o website.

Profissionais que fazem a otimização de websites

Profissionais que fazem a otimização de websites

Profissional mais buscado entre as diversas especialidades do Marketing Digital, o especialista em otimização de sites ou SEO é indispensável em estratégias de posicionamento de páginas em grandes buscadores, afinal, o marketing de busca se tornou uma das mais importantes vertentes para o sucesso de um negócio em ambiente online.

Gerando a exposição necessária para alavancar sua empresa, atrair leads e conquistar tráfego para as páginas do seu site, um analista de SEO é responsável pela aplicação das técnicas variadas de Search Engine Optimization

Assim, pode ter a certeza de que um site nunca aparecerá nas primeiras posições do Google por mero acaso. Por trás de toda exposição positiva na web temos a atuação eficiente de um profissional que faz a otimização de websites!

Mas afinal, quais são as atribuições de um profissional analista em SEO? Vejamos:

  • Elaboração estratégica da marca em ambiente de buscas orgânicas;

  • Análise e adequação do site perante as técnicas de otimização no que diz respeito a sua estrutura;

  • Otimização de páginas e seus variados elementos (imagens, videos, conteúdos…);

  • Criação de relacionamento com demais sítios eletrônicos como mídias sociais, de forma a promover a popularidade;

  • Análise da posição de páginas nos grandes buscadores e produção de relatórios sobre o desempenho das estratégias.

Diariamente cerca de 4 bilhões de buscas são realizadas somente no Google, e saber atingir o seu público e sobressair em meio aos seus concorrentes é fundamental para o sucesso de qualquer empresa que deseja se manter competitiva num mercado dinâmico e mutável.

Desta forma, investir em campanhas de marketing com técnicas bem desenvolvidas de SEO pode aumentar consideravelmente o tráfego no seu site, bem como transformar leads em clientes fidelizados e fazer com que sua marca torne-se autoridade no mercado.