Atendimento:
(11) 2359-0684

Suporte:
(11) 2368-0710

Produção de Conteúdo

Quando entramos em um site, procuramos por informações que esclareçam as nossas dúvidas. Como a internet é muito dinâmica, a tendência é ficarmos pouco tempo em cada página da rede. Por isso, é importante que o conteúdo presente no website seja claro e objetivo, mas que tenha, ao mesmo tempo, capacidade de suprir as necessidades de cada usuário.

No marketing de posicionamento para internet, a produção de conteúdo é vista como um dos principais alicerces que possibilitam o sucesso do projeto. Sem a criação de artigos que entreguem informações para o visitante, fica muito difícil que o Google considere o site relevante, o que irá impedir um bom ranqueamento no buscador.

Contudo, para criar um bom conteúdo, é preciso estar atento às técnicas utilizadas durante o estudo e às métricas aplicadas pelo Google. Nesse artigo, você entenderá um pouco mais sobre elas e como o MPI auxilia nessa área.

Briefing de conteúdo: conhecendo o cliente

Antes de iniciar a criação do conteúdo, é preciso conhecer o cliente para quem faremos o trabalho. Se não sabemos quais são as pretensões do nosso consumidor com o projeto, poucas são as chances de os resultados serem satisfatórios para ambos os lados. Portanto, logo após o contrato ser fechado, é enviado o que chamamos de briefing de conteúdo.

Basicamente, o briefing é um modelo de questionário que irá auxiliar os profissionais responsáveis pela atividade em seu site e fazer com que as páginas sejam publicadas mais rápidas e com muito mais qualidade. Nesse documento, você deverá responder perguntas sobre o segmento da sua empresa, os produtos e/ou serviços oferecidos, locais de atuação e o público alvo que você pretende atingir através da campanha.

Quem é a persona da sua empresa?

O principal objetivo do marketing de posicionamento é fidelizar o cliente através das publicações apresentadas no site e, para isso, é indispensável fazê-lo sentir necessidade de ter acesso e de ficar próximo ao seu conteúdo. Isso é conseguido com qualidade e aplicando as regras exatas de engajamento, inclusive para atrair novos consumidores em potencial. Entretanto, para atingir essa meta, é preciso conhecer (e bem) o seu público. Nesse momento, é criado o que chamamos de persona.

A persona é uma representação fictícia do cliente da sua empresa. Para criá-la, é preciso se basear no seu público alvo, isso é, em dados reais a respeito da localização, dos comportamentos e dos objetivos do seu consumidor.

Para a ideia ficar mais clara, usaremos o seguinte exemplo de uma possível persona da Prime Web:

  • Patrícia Carvalho, 35 anos, casada, pequena empresária de Taubaté. A sua empresa atua no segmento de embalagens. Ela deseja expandir o seu negócio para cidades próximas, que também estejam no Vale do Paraíba. Procura por meios de divulgar a sua companhia através da internet.

Esse perfil auxilia no momento de contato com o cliente. No marketing, a criação de personas ajuda a atingir as pessoas certas através de mensagens certas, o que garante uma maior chance de sucesso.

Além disso, para implementar a persona, é interessante utilizar uma base de clientes, o que possibilitará o foco tanto em clientes satisfeitos, quanto em clientes insatisfeitos, a fim de potencializar os resultados positivos da sua empresa futuramente.

Linguagem a ser usada nos textos

Após a criação da persona, é importante determinar qual a linguagem certa para ser empregada nos seus textos. O tom aplicado pode mudar o tipo de perfil que será atingido com os seus conteúdos.

Se você tiver muitos clientes com uma faixa etária maior e com um grau de formação, é interessante apostar em artigos mais formais, com uma linguagem mais aprimorada. Se por outro lado seus clientes forem mais jovens, a melhor opção é optar pela linguagem informal, mais despojada.

Entretanto, dependendo do seu segmento, a melhor opção é mesclar esses dois tipos de linguagens, criando uma possibilidade maior de atingir mais públicos de maneira mais eficiente.

Nessa fase, podemos perceber a importância da resposta do briefing de conteúdo e da criação da persona: esses dois pontos irão determinar quais serão os conteúdos do seu site, como eles serão produzidos e quando serão publicados.

Planejamento: definindo as pautas de texto âncora

Um dos pontos importantes durante a criação de conteúdo para o marketing de posicionamento, é determinar quais assuntos poderão ser encaixados no que chamamos de texto âncora.

Os textos âncoras são aqueles mais extensos - entre 2 mil e 3 mil palavras - e que têm como principal função servir como conexão para os diversos assuntos tratados dentro de um determinado site.

Por conta de sua extensão, esse tipo de artigo é ótimo para realizar o call-to-action do site, ou seja, servir como “âncora” para o leitor. Essa linkagem é muito bem vista pelo Google, o que pode auxiliar em um posicionamento mais alto para a sua página.

Além disso, os textos âncora também são uma maneira de fazer com que o usuário da internet se engaje mais com o seu conteúdo e com a sua empresa, já que o artigo será muito mais detalhado e proporcionará uma experiência diferente dos textos mais curtos.

Contudo, o tamanho também é o desafio dos textos âncora, já que manter a atenção do leitor durante 3 mil palavras é uma missão complicada. Por isso, a pauta para esse tipo de conteúdo deve ser muito melhor elaborada para evitar que possíveis erros estraguem todo um planejamento.

Palavra-chave: como escolher?

Como estamos falando de um conteúdo longo, a primeira coisa é escolher uma palavra-chave que renda assunto o suficiente para se estender entre as 3 mil palavras necessárias. Por isso, a escolha do tema e da abordagem é altamente importante.

A palavra-chave escolhida também precisa possuir busca orgânica o bastante para que o texto seja acessado e lido por pessoas que realmente tenham interesse no assunto e consigam se prender durante todo o artigo.

Entretanto, é interessante utilizar uma palavra-chave que não seja tão específica, mas que englobe vários assuntos que já foram citados anteriormente em seu site. Assim, o tema poderá ser melhor desenvolvido tanto no destrinchamento para a elaboração da pauta, quanto para a criação do artigo propriamente dito e da linkagem interna das páginas.

Portanto, é indispensável que antes de começar a redigir um texto âncora, a estratégia e ser abordada seja muito bem pensada e estudada. Um conteúdo grande como esse pode sim disparar o seu site em quesitos de posicionamento no Google, mas só se ele oferecer realmente informações relevantes para o leitor.

O título

Tanto o título quanto os subtítulos possuem grande importância para o texto âncora. O título principal irá servir para guiar o leitor para o interesse inicial na leitura, enquanto os subtítulos terão como função tornar a leitura menos massante e separar os temas a serem abordados. Por essa razão, é interessante que eles possuam criatividade, principalmente no momento de tratar a palavra-chave, o que precisa ser feito com variações. A repetição é importante, mas é necessário que ela seja feita de maneira mais sutil, o que é muito bem visto pelos olhos do Google.

Os subtítulos em H2 e H3 são excelentes para serem explorados em um texto âncora. Graças ao tamanho do conteúdo, eles podem ser abordados em diversos momento, o que possibilita, também, que a leitura seja mais fluída e não incomode o leitor.

As referências

Como já foi dito anteriormente, não é fácil articular a criação e a publicação de um perfil te texto tão grande quanto o texto âncora. Porém, se alguns passos forem seguidos da maneira correta, é possível usufruir de todos os benefícios que a publicação de um artigo deste tamanho oferece.

Um dos pontos que facilita a criação do conteúdo pelo redator são as referências. Para que a pauta dê certo, é preciso que haja referências o suficiente para que o responsável pela criação do texto tenha base o suficiente para dissertar durante as 3 mil palavras necessárias.

Além disso, o seu texto âncora só terá todos os bons requisitos para ser publicado se houver pelo menos 7 ótimas referências para a pesquisa externa a ser realizada pelo redator. Assim, o artigo poderá ser criado com verdadeira qualidade, sem repetições de assuntos.

Outro ponto importante é ter referências dentro do próprio blog. Desse modo, além de facilitar o trabalho do escritor, também possibilitará que a linkagem interna das páginas do seu site seja feita.

A descrição geral

Em um texto tão extenso e detalhado, é de alta relevância que a pauta a ser entregue para o redator tenha uma descrição geral precisa sobre o assunto que será abordado.

O planejador da pauta deve, em pelo menos 5 linhas, explicar de maneira objetiva quais são as metas e o que deve ser tratado durante o texto âncora. Essa descrição precisa mostrar o que é esperado do artigo em geral e detalhar a importância de cada subtítulo.

Desse modo, há a certeza de que o tema que você quer que seja seguido não saia dos trilhos porque, afinal, em um conteúdo tão longo, é normal que quem for redigir o artigo se perca ou entre em outros assuntos que não tenham tanta importância na pauta proposta.

Porém, é importante lembrar que essa descrição só deve ser feita após a criação da abordagem e dos estudos que busquem por referências do tema nos buscadores. Dessa forma, a chance de ter em mãos um conteúdo de qualidade no final da redação desse artigo será bem maior.

Os tópicos

Durante o planejamento de uma pauta para um texto âncora, é indiscutível a relevância dos tópicos. Criados pelo planejador, eles devem deixar claro qual é a importância da estratégia e como ela deve ser abordada pelo redator.

A partir do momento em que a pauta começou a ser produzida, temos que deixar de pensar no macro e começar a também pensar no micro do artigo. Dentro do texto, existem dúvidas menores que também podem ser esclarecidas? O que é mais ou menos necessário, mas que também merece atenção?

Levando as respostas dessas perguntas como base, os tópicos para a sua pauta devem ser criados, a fim de colaborar com a leitura do seu cliente. Lembre-se, também, que esses tópicos também servirão como uma espécie de guia para o redator, então eles devem ser bem organizados e práticos. Se forem bem compreendidos, o resultado final será bom.

O CTA (call-to-action)

Chamamos de call-to-action (CTA) qualquer chamada, podendo ela ser visual ou textual, que possibilita que o leitor de uma página tome alguma ação, ou seja, que saia dessa página e vá para outra de alguma maneira, seja para ter acesso à outra página, à um site parceiro, à um e-book da sua empresa, entre outros exemplos.

No caso do texto âncora, o principal CTA utilizado é o de linkagem de páginas. Isto é, possibilitar que durante um artigo mais longo, links marcados em algumas palavras levem o leitor para outro post relacionado com o assunto.

Essa é uma etapa importante, que além de gerar mais acessos para o seu site, também trabalha com a fidelização do seu leitor, que pode se tornar um futuro cliente. Além disso, essa é uma prática que pode levar o seu site a ir aos primeiros posicionamentos do Google, que irá considerar a sua página mais relevante e de qualidade para o público.